https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

DUETO CARLOS VAL E JESSICA NEVES - ONDE AS CAMÉLIAS SE DESPEM EM GESTOS

 
 


ONDE AS CAMÉLIAS SE DESPEM EM GESTOS



Carlos Val - Pseudónimo Literário de Conceição Bernardino

http://nonosentidoval.blogspot.com/

Gela-me o ventre da alma,
o meu corpo encolhe-se na tua boca
à procura de um céu inquisidor
feito de (astro)lábios
onde as camélias se despem em gestos
prematuros num manancial de aromas
poeticamente cálidos
como o vinho que saboreio nos teus dedos
feitos de espuma púrpura
em lençóis carcomidos
pelo tempo ainda vindouro
sedento de nós
de tudo e de nada que nos pertence
como o sol agreste que nasce nos teus cabelos

As mãos, o toque, a carne e o desejo
são a fonte do beijo que procuro
do laço infindável que nos une
e desune pela mesma razão
onde o amor e o ódio se tocam, tão perto…
jamais caberemos num mundo só nosso
porque metade de mim é infinito
e a outra metade está escrita no teu olhar…
…descobre-me.

Carlos Val e Jessica Neves
03.12.12
 
Autor
Carlos_Val
 
Texto
Data
Leituras
818
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
1
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/12/2012 13:15  Atualizado: 05/12/2012 13:15
 Re: DUETO CARLOS VAL E JESSICA NEVES - ONDE AS CAMÉLIAS S...
Gostei muito!

A linguagem poética transcendendo o fático está muito bem delineada (na linguagem figurada) nesta bela construção a quatro mãos. O titulo desvela o poema por inteiro...

Meus parabéns!