https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Poema que escapou da Gaveta

 
Tags:  vida    eu  
 
Dentro do ônibus
Com uma caneta na mão
Tentando trazer
As palavras do meu coração

Eu quero por meio
Das minhas palavras soltas,
Soltas ao vento,
Tirar esse sentimento de lamento
Limpa o Quadro...
Limpa o rosto.

Nesta minha busca
Pela minha identidade,
Estou mais perto do que longe,
Estou mas que na metade...
De meu eu usar.
(...)
Limparei este quadro negro
Com água e sabão
Farei uma faxina nas energias
Do meu coração
Mudarei meu estilo de viver.
Meu modo de ver...
A vida.

Este dia vem chegar
...
Vou concluir por aqui
Minha parada é logo ali
O motorista não vai esperar.

Júlio César Andrade

 
Autor
xaligo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
512
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.