https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sol...

 
Open in new window












O’ tu que com o clarão de fogo
Rompes o gelo de minha alma,
Impelido-a agora esse calor escaldante
Das mais ínfimas acariciadas esperanças
Sempre claro e manchado,
Livre na sua devotada necessidade:
Assim minh’alma celebra os teus milagres,
Ò tu, belíssimo entre os meses do ano!


 
Autor
Dalmo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
479
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.