https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Infortúnios silenciosos

 
Open in new window



Nunca o confessei.
Mas sentia-o. Sempre.
Fui-me perdendo de ti nesta sempre recusa da voz do corpo.
De mão estendida, ansiosa, corri o risco de que não quisesses segurá-la, senti-la, de subir até ao meu cotovelo.
Ficava imóvel, imaginando como dizer não ao gesto que desejava.
E tu dizias-me indecifrável, perdida num céu sem porta, sem escada.
E eu, em cada dia, desejando cair e tocar-te.


 
Autor
damart
Autor
 
Texto
Data
Leituras
380
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.