https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Introspeção

 
Tags:  introspeção  
 
Introspeção

Não pares
não tentes bater à porta.
fechada às portas da vida...
Avarenta do meu redor
não dou pousada a ninguém...


Quem quer partilhar comigo
minha miséria dourada?


Vai adiante,
não pares!
Deixa a pergunta no ar...
Há caminhos luminosos
onde ninguém passou
só por passar...


Deixa-me só!
Deixa-me só com os farrapos roxos
dos meus sonhos azuis...
Nas tardes de solidão
Um... Dois... Três...
Quero contar
Chego a contar um milhão
das horas todas vazias
dos dias todos do mês...

Minha miséria dourada,
de verdade,
é quase nada....
Choro e canto
e sofro... e rezo!

Às vezes sonho também!
Avarenta do meu nada
não dou pousada
a ninguém!

Ai estas horas vazias...
Estas horas ninguém
tem!

Maria Helena Amaro
31 de agosto de 1960

http://mariahelenaamaro.blogspot.pt/2014/04/introspecao.html

 
Autor
amacsequeira
 
Texto
Data
Leituras
426
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.