https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ao Longe

 
No ventre dos bosques, nos cantos do olhos, o diferente se esconde nos descuidos da natureza. Essa minha fatalidade, individualidade, não deixa a vida me fazer borrões, nem pares. O romper dos pensamentos, a criação das palavras, a expressão única, o isolamento. São raros os pássaros não por sua beleza ou canto, mas por mais se aproximarem do fim, o cansaço da multiplicação, uma negação da ditadura divina. Quando o ser não se reconhece ser, há a criação do vácuo, a perspectiva de um novo único. Joguei pra fora isso e ela ela disse que também sentiu meus pensamentos e me presenteou com mais um beijo distante.


,,,mas Deus gosta de ser assim também, na forma de Eu!

 
Autor
joakencor
Autor
 
Texto
Data
Leituras
487
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Dragonfly
Publicado: 04/11/2014 21:13  Atualizado: 04/11/2014 21:13
Super Participativo
Usuário desde: 05/09/2014
Localidade:
Mensagens: 134
 Re: Ao Longe
...do vazio nasce tudo...negar, fugir, aumenta nossos sofrimentos, mas, alimenta a coragem, mesmo que seja de modo inverso...no fim...ao pó retornamos, e do pó renascemos...e lá, seja onde for, a única dádiva que possuímos contra ou a favor...sempre será "o tempo"...se fosse possível definir o amor, com certeza eu diria que ele seja a própria eternidade...e a beleza disso é a nossa unicidade no todo...nosso "akai Ito"...que você tece tão bem poeta, bravo!