https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

TRAIÇÃO

 
Tags:  fantasia    palavra    sentença    arm    condenada    julgada  
 
Quando li a sentença.
Neguei-me a acreditar.
Mas uma vez diante dos olhos,
Trapaças... Embustes... Traição.
As lágrimas rolaram...
O punhal atravessou meu peito
dilacerou meu coração.
Tal como no passado,
quando fui julgada, condenada,
por um crime que não existiu.
Os abutres roubaram tudo de mim.
Não tiveram respeito.
Camuflaram meus direitos.
Jogaram-me no abismo.
Não tiveram compaixão.
Julgaram-me por suposições.
Defenderam a moral , os bons costumes
pra depois rasgarem a fantasia,
caírem na folia,jogando as máscaras no chão.
É fácil julgar ...
Difícil é constatar a sujeira incrustada em sua mão.
Quem tem teto de vidro,
não pode envolver-se em confusão,
A palavra é uma arma.
E pode mudar de direção.
Não há mais inocência.
Há reação.
De tanto morderem o rabo do gato.
Este virou um leão.


Open in new window


 
Autor
Iolanda Brazão
 
Texto
Data
Leituras
636
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
6
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 31/03/2015 15:37  Atualizado: 31/03/2015 15:37
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16127
 Re: TRAIÇÃO
Amiga Poetisa
Adorei a leitura! Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 31/03/2015 16:00  Atualizado: 31/03/2015 16:00
 Re: TRAIÇÃO
Que texto forte e verdadeiro, muitos jogam pedras no telhado alheio e se esquecem que seus são de vidro
Acordem!!!
Parabéns!
Seu poema diz tudo!


Enviado por Tópico
Carolina
Publicado: 31/03/2015 17:25  Atualizado: 31/03/2015 17:25
Colaborador
Usuário desde: 04/07/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3535
 Re: TRAIÇÃO
Texto forte mas realista.
Gostei de ler, parabéns.