https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

MUTANTE

 
O que se perde
também se transforma.
É depósito azedo e ressequido
no fundo do copo partido
tão cheio daquilo que foi
e não torna.

 
Autor
(re)velata
 
Texto
Data
Leituras
2634
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
3
4
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 04/07/2015 15:53  Atualizado: 04/07/2015 15:53
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29955
 Re: MUTANTE
Tudo aquilo que se vai torna-se fluido do tempos que os apaga nas mutações do destino.

lindo poema


Enviado por Tópico
Margô_T
Publicado: 02/07/2016 20:21  Atualizado: 02/07/2016 20:21
Da casa!
Usuário desde: 27/06/2016
Localidade: Lisboa
Mensagens: 309
 Re: MUTANTE
Poema curto mas inteiro, ao contrário do nosso copo (já partido), que vai acumulando “depósito azedo e ressequido” - “daquilo que foi” e já não é, “daquilo que foi” e já não retorna.
Gosto desta dureza na escrita; mesmo que me rache por dentro e que daqui saia com um copo mais baço do que aquele que tinha quando o comecei a ler, já que, ironicamente, aquilo que somos e seremos é/será fruto de todos os depósitos azedos e ressequidos que se sedimentaram… e até um poema se sedimenta, porque não se perde.