https://www.poetris.com/
Poemas -> Amor : 

Querida Fátima

 
Tags:  rimas    romance    dedicatória    Juvenis  
 
Querida Fátima
 
Querida Fátima
Trago-lhe está humilde carta
Escrevo-te em frases mágicas
Que me lembram de suas asas
Teu nome talhei em meu caderno,
Os teus olhos meus sonhos fizeram
Nada, com uma simples palavra,
Descrevo minhas noites sem ti, doce amada
Confesso-te minhas inquietações ao dormir
Sinto-me vazio quando está longe de mim
Motivo este que agora me obriga a escrever,
Apenas para que suas memórias possam me aquecer
Que me chamem de louco, que digam que sou afoito
Mas, diga-me, é errado demonstrar falta?
Pois sinto muita saudade, como não sentiria?
Minha mente não está calma, por isso as frases líricas.

Minhas manhãs não são mais minhas
Passo o amanhecer do sol pensando em minha rainha
E, mesmo à distância, tornei-te minha importância
Os cílios teus me cativaram de tal forma,
Que os vejo sempre que a inspiração em mim incorpora
Meu amor, amor, uma palavra tão curta e poderosa,
Que carrega consigo o sentimento que às vezes me apavora
Por quê? Irei te responder com uma simples pergunta
O que faria se a sua solidão houvesse apenas uma cura,
Mas que poderia ser perdida como uma gota na garoa?
Talvez não entenda, porém, em meus olhos, és a única garota.

Disseram-me para não escrever,
Que eu seria golpeado pelo desprezo
Em termos construí o que pode se chamar de texto
Não me importo se me detestar,
Minhas intenções estão prontas para te amar
Escrevo, talvez insistindo em perda de tempo
Momento, é tudo que te peço, ou um verso meigo
Não irei te buscar caso rejeite essas minhas palavras
Irei te perdoar, e te eternizarei nas noites claras
Faça-me apenas um favor, dei-me um sorriso diante do meu amor
Tudo que te peço é que compreenda, que és minha Helena
Por ti, e somente por ti, eu sacrificaria minha vida
Por ti, e somente por ti, tomaria a morte como minha inimiga
E, como Alexandre ou Gilgamesh, eu marcaria a história
E como Átila, travaria várias guerras,
Apenas contigo ao meu lado, deste modo, eu seria impenetrável
Me sinto um pequeno gafanhoto, com medo do mundo
Sua presença, e somente a sua, me tornaria vivido como um urso
Não digo isso buscando um sentido,
Tão pouco para que rejuvenesça o meu espírito
Tenho medo, meu amor, medo de perdê-la para o tempo,
Perdê-la para o futuro
Me abrace, fique comigo, pois tornaste meu abrigo.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
178
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.