https://www.poetris.com/
Poemas : 

Beijos de Luz

 
Tags:  beijo    beijos    sobrancelhas    vagalumes    narizes  
 
Me leve voando pra luz
Onde os vagalumes se recarregam
Os vagabundos se entregam
E os vagamundos se encontram
As douradas centelhas
Em cima dos narizes
De baixo das sobrancelhas
Por onde escorregam os pensamentos
Sedentos pela sede de saber
Os segredos mais bem guardados.
Me leve morrendo pro tempo
Onde os vagarosos se apressam
As vagas ideias se expandem
E os vagasonhos acordam
As loucuras delirantes
Dos loucos felizes
Por cima dos lábios
De baixo dos narizes
Aonde descansam os primeiros beijos
Ansiosos por ansiolíticos
Presos políticos
Os beijos que nunca aconteceram
Nunca vão
Mas que existem, sem explicação.

opa e aí blz
 
Autor
gnocchifeelskind
 
Texto
Data
Leituras
103
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Recentes
Aleatórios
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 22/09/2018 19:15  Atualizado: 22/09/2018 19:15
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 648
 Re: Beijos de Luz
.
Muitas ideias interessantes neste poema.

A aliteração em vagalumes, vagabundos, vagamundos, vagarosos, vagasonhos... como que a sugerir que muito do que somos está nesse vaguear constante, entre espaços vagos, nos dois sentidos: vazios ou pouco nítidos.

Depois, obviamente, a inspiração dos últimos versos:

"Aonde descansam os primeiros beijos
Ansiosos por ansiolíticos
Presos políticos
Os beijos que nunca aconteceram
Nunca vão
Mas que existem, sem explicação."


A um verso que parece querer cair no sentimentalismo vulgar (em termos de expressão literária, entenda-se, porque sentir intensamente nunca é vulgar), a este verso seguem-se outros humorísticos ou satíricos ou reflexivos, numa conjugação ácida de que gosto bastante.

Cá esperamos por mais textos seus.