https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

A vida está ruim, mas é melhor assim, sem eles...

 
Open in new window
Crônicas sobre um coxinha inveterado - (I)

Em uma viagem de metrô, encontro um velho conhecido, funcionário público recém aposentado, senta-se a meu lado, após os cumprimentos de praxe, vocifera:

- É, meu caro, está muito ruim a situação, antes sempre conseguia me safar "com meus conhecimentos" da malha fina, agora não tem jeito..

* Ah é? Mas, o que aconteceu?
- Ora, me pegaram na malha fina do imposto de renda, não aceitaram uns recibos que tinha arrumado por aí.

* Humm, mas você não dizia que era contra a corrupção, bateu panelas à exaustão que teve até tendinite no punho, pediu o fora Dilma, fora PT, prende Lula... Não estou te entendendo, isto é uma confissão meu caro amigo, de fraude.

- Que é isso, todo mundo que conheço "dá o seu jeitinho", e arrematou "a gente já paga muito imposto" para sustentar esta gentalha de tanta bolsa que criaram...

* Mas, não me queira mal, assim você está querendo uma "bolsa isenção de imposto de renda", enquanto eles - a gentalha a que você se refere paga o mesmo imposto na bucha -, nos alimentos, nos salários, nas tarifas etc...

- Ah, está difícil hoje conversar com alguém esquerdista, com estas ideias comunistas, sabe de uma coisa, eu lhe digo "pode até está pior, mas ainda assim é melhor", sinto prazer em ver esses miseráveis mendigando uma diária, um emprego e eu vou pagar o que quiser a eles. E, ainda estavam andando de avião, entrando em faculdade, isto não é para eles, é para quem deu duro a vida toda.

* (E já quase perdendo a paciência, o termômetro da tolerância estava caindo a quase zero). Então lhe digo, tome cuidado, que um dia a casa grande cai, a violência não começa "com eles", e sim com atitudes como as suas. É por causa desta visão hipócrita, reacionária, classista e escravagista como esta, que o país segue desigual.

- Ah, não vem com essas baboseiras, eu já lhe disse, para mim é melhor que seja assim, já fiz até campanha pro Fica Temer... e o mito irá fazer o que ele não fez, o Moro irá completar o serviço, não sobrará pedra sobre pedra.

* Como assim, criatura, ainda quer que o país vá mais ainda para o fundo do poço?

- Se for pelo menos não teremos que aturar estes comunistas, e com certeza não sobrará nenhum, é melhor que você se cuide, amigo, pois com estas ideias revolucionarias, pode sobrar para você também!

* É porventura uma ameaça? Você pretende me delatar - afinal está na moda nos juízes seletivos que você apoia, e que ganham como prêmio da perseguição um cargo de ministro de estado.

- Os pobres têm que aprender onde é o seu lugar, chega da classe média ser arrochada por benefícios concedidos a esta gente preguiçosa, que não estudou, que não correu atrás pra vencer na vida.

* Cuidado amigo, lembra-se daquela transportadora logo após o Cemitério do Caju, entrada da ponte?

- Sim, o que tem a ver cemitério e transportadora, eu hein?

* Havia um letreiro em roda que dizia: "o mundo gira, a lusitana roda"; a vida dá voltas... a propósito você conhece o efeito bumerangue?

- Não acredito nesta tal "lei do retorno", coisa de espírita, sou evangélico, da Igreja do Quadrangular, aquela da ministra Damares, que será a sensação deste governo.

* Ah, entendi, já deu para perceber que você também anda esperando por Jesus na goiabeira. Então, porquê não está trajando azul?

- Para de sacanear a ministra de Deus, tenho pena de você, não será salvo; é um herege, e hereges na idade média iam pra guilhotina.

* É, alto lá, Joana D'Ar foi pra fogueira amigo, uma boa revisão da história lhe faria bem, como médico prescrevo, será um santo remédio para sua ignorância.

- Não me interessa essas leituras comunistas, por mim faziam que nem o Hitler fez, colocava estes livros todos em uma grande fogueira.

* Ah, em nazismo você está bem entendido, não me surpreende.

- Se quer saber, acabei de assistir o filme "Minha Luta", de Hitler.

* Ah, chega, já está me dando náusea. Vou saltar na próxima estação, posso lhe dar uma sugestão? Peça ajuda ao mito ou ao motorista dele pra resolver sua encrenca na receita.

- O presidente já disse que é rolo do motorista, ele sabia, mas não tem nada a ver com isso.

* Nem o Moro, né mesmo? Já colocaram cadeado na COAF, todo mundo de bico calado, mas pra divulgar gravações ilegais de conversas do Lula com a Dilma, podia, né?

- Não me venha dizer um ai do Moro, ele é o nosso maior patriota, até interrompeu férias pra manter o barbudo na cadeia.

* Imagina, quanto sacrifício e empenho em prol do projeto de poder do seu mito, pra depois ganhar o prêmio de se tornar ministro, não me engana que não gosto.

- Ele só vai sossegar quando cologar toda a petralhada na cadeia, é bom que se cuide amigo, não tem essa que "ninguém larga a mão do outro".

* Tchau não sei se foi bom te reencontrar, mas valeu o papo que foi esclarecedor. A propósito você está bem a caráter amigo, com esta camisa alaranjada, me permite lhe dar um alcunha, já que me deu o codinome: comunista, o que diga-se de passagem não me ofende, que tal lhe chamar de coxinha inveterado...

- Sabe gostei do elogio, vou aproveitar, degustarei meu baseado, que ele com certeza irá legalizar...

AjAraujo, o poeta humanista, crônica após um diálogo real com um coxinha inveterado, escrito em janeiro de 2019.
 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
218
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.