https://www.poetris.com/
 
Textos -> Crítica : 

A ILHA... HUMANA!

 
Tags:  www.luso-poemas.net  
 
A maioria de nós é uma Ilha cercada de pessoas... Impessoais!

De umas décadas para cá, as pessoas, ditas civilizadas, têm se munido apenas com os seus interesses, motivações e apropriações indébitas, em desfavor dos seus semelhantes, mais próximos e/ou, distantes.

A solidariedade e a partilha das sobras desapareceram dos seus hábitos do cotidiano, numa refrega instável das posses imerecidas, a atulharem os seus pertences, sem darem vazão às arestas lhes desnecessárias.

As Religiões, Leis e Regulamentos, são meras determinantes, sempre relegadas a planos secundários, ao se confrontarem com a ambição desenfreada da posse irregular e desmerecida de alguma coisa, valiosa ou, não.

As Famílias já não conseguem, ao se reunirem, amortalharem o desejo da posse volúvel e do que não tenha o direito pleno, acabando por se desunir, mais ainda, quando o confronto surge, sem sufragar o benefício pretendido e, exposto a todos.

Quando em frente aos televisores e Internet, só procuram se envolverem em assuntos macabros, criminais, propagandas, vestes, desenhos, jogos etc. se desinteressando dos eventos intelectuais e da literatura didática ou empírica, com isso, se deslustrando de um aprender... Apreendendo! Que lhes poderia abrir os caminhos do aprendizado quase gratuito, que serviria de base matura para os embates da vida moderna, com as suas controvérsias sempre presentes!

Sendo Ele um ilha cercada de seus semelhantes, com cada um procedendo igual a Ele, resultará em ter que navegar em cabotagem contínua, todavia, sem um Píer de Felicidade e esperança, pois, os iguais nada tem a ensinar ou dividir, por existirem, cada um, com os pensamentos, interesses e usurpações análogas aos mais próximos de si.

Além disso, a “Ilha” não tem vínculos de solidez, vivendo e, sobrevivendo, sem as bases ilibadas que lhe poderiam anexar aos “continentes” da congregação do “Bem” sem dilapidar aos demais irmãos, a percorrerem o “Bom” caminho da solidariedade e divisão equânime.

A continuar como está procedendo, a humanidade (com as devidas exceções que confirmam a máxima de que “Toda a unanimidade é burra!”) acabará por sair da ilha e cair no abismo existencial, de onde não haverá retorno ou ressarcimento de quem poderia lhes dar o “Bem!

Para o ressurgimento das boas ações, no meu empírico entendimento, a primeira coisa a ser feita é dar um valor total a Honra com probidade plena, nos moldes dos meus versos a seguir:

A nossa honra é como o gis
Ao qual se queira aparar,
A cada corte lhe feito...
Espalha o pó pelo ar!

Sebastião Antônio BARACHO
conanbaracho@uol.com.br
Fone: (31) 3846-6567.

 
Autor
S.A.Baracho
 
Texto
Data
Leituras
1960
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/04/2008 15:13  Atualizado: 04/04/2008 15:13
 Re: A ILHA... HUMANA!
Olá Poeta,

Seu texto me prendeu a atenção do início ao fim. O tema realmente estabelece uma crítica atual, que está acontecendo em todos os lugares e lares, principalmente, com a presença da internet e televisão. Vc descreve esse lado ruim, que acontece por criar "ilhas..humanas". Quero acreditar, que tenha um lado positivo para aqueles que conseguem perceber que tudo tem que haver um equilibrio. Mesmo no saber lidar com a internet e tv.

Qdo vc cita a humanidade, que para mim é uma palavra subjetiva e abstrata, porque na verdade humanidade não existe no seu contexto pessoal, acaba por tirar a responsabilidade de cada um nessa ação. Veja: quem é a humanidade que vai cair no abismo? outros dizem: e assim caminha a humanidade....mas cadê? isso é imaginário e não palpável. Humano é relativo ao homem, mas humanidade não é o homem em si, pois ela não é palpável. Portanto, a responsabilidade de cair no abismo será de cada individuo, de cada pessoa que não estiver consciente de si mesmo. Assim, a responsabilidade cai no consciente de cada um. Tenho lido muitos autores que joga a culpa de tudo em cima da humanidade, mas quem é essa humanidade? É como jogar palavras ao vento sem direção qualquer. A responsabilidade é de cada cidadão, sem distinção. Engraçado notar que estamos virando ilhas humanas, mas a culpa é da humanidade?!

Tudo o que fazemos depende da nossa VONTADE. Se, não tivermos VONTADE FIRME de dar valor a nossa Honra, não conseguiremos nada nunca, pois tudo pode virar giz, inclusive as palavras...

Adorei ler vc..bjs