https://www.poetris.com/
Poemas : 

Não me dêem nadas

 
Não quero ouro nem prata
Nem qualquer joia da coroa
Não quero estrelas nem luas,
O sol do meio dia
Nem do barco, sua proa
Não quero futuros
Promessas
Nem piscar de olhos
Ou gestos similares
Tão pouco palavras bonitas
Nas vozes caladas, em espera
Ou mãos que não sabem tocar
Lábios que não querem beijar
Nem sorrir
Ao dia, a acontecer
Não quero portas abertas
Flores pintadas
Por corações amputados
Vaidosos e dementes
Não quero padrões, ordem, coragem
Para a ausência de presença
De vida, por viver
Não quero provas,
ausências, sombras, desculpas,
Contas de somar
Não quero arrecadar
Futilidades,
Ou lágrimas de crocodilo
O que eu quero é poesia
Nua, crua e honesta
Útil, solidária, humana
Sem rima rica nem pudor
Onde vença a magia
De cada um ser o autor.
Não me dêem nadas...


Carpe diem

Open in new window

 
Autor
Violante
Autor
 
Texto
Data
Leituras
99
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
6
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 15/10/2020 12:02  Atualizado: 15/10/2020 12:02
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6808
 Re: Não me dêem nadas
Os nadas não valem nada,
Se vierem do nada,
Do nada que são...

Linda prosa poética, adorei.

Abraço!
Upanhaca


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/10/2020 13:18  Atualizado: 15/10/2020 13:18
 Re: Não me dêem nadas
E pensar que o nada que nada é faz tanto "ruído"


Enviado por Tópico
nereida
Publicado: 15/10/2020 14:07  Atualizado: 15/10/2020 14:07
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2017
Localidade: São Paulo
Mensagens: 1746
 Re: Não me dêem nadas
Volante! Um texto bonito, um que de amargura.
Por vezes nos sentimos assim! E para o sorriso ser forçado melhor nada!!!
Parabéns.