https://www.poetris.com/
Poemas : 

Cozinha

 
Cozinha

Amanhecera terrivelmente quente.
Muito cedo sol invadira a cozinha.
Da vidraça quebrada avistava-se velha cortina.
Azul tinha sido um dia.
Engordurada, não balançava.
Pia bastante gasta abrigava copos e talheres
Abandonados na modorrenta madrugada.
Paredes ligeiramente limpas.
Não tinha mais forças.
Perdera a mocidade.
Azulejos partidos aqui e ali.
Geladeira pequena e antiga quase nada abrigava.
Toalha xadrez de plástico cobria a tosca mesa ladeada por dois bancos.
Nela repousava tristemente velho açucareiro.
De pé, a mulher olhava e suspirava.
Vestido estampado cobria corpo franzino.
Cabelos brancos e desalinhados escondiam rosto cansado.
Não tinha hábito de se lastimar.
Colocou chaleira no fogão de duas bocas.
Escondido entre rugas do rosto surgira um largo sorriso.
Estava viva.
Água para o café fervia no compasso de seu canto.
Gostava de saudar a vinda do luminoso sol quente entrar sem permissão na sua simples e boa cozinha.

Alexandre Sansone
23.11.2021



 
Autor
Sansone
Autor
 
Texto
Data
Leituras
61
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 23/11/2021 18:56  Atualizado: 23/11/2021 18:56
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: Brasileira
Mensagens: 1601
 Re: Cozinha
.
Quê delícia, adoro um sorriso simples e o rosto humilde, engraçado é que pude visualizar um lenço na cabeça as rugas bem fundas, as mãos frágeis mas com uma força e um ânimo tão forte que encanta por ver seu corpo frágil mais uma cabeça guerreira.