https://www.poetris.com/
Francisco de Vasconcelos Coutinho : À morte de F.
em 05/02/2014 13:42:05 (3101 leituras)
Francisco de Vasconcelos Coutinho

Esse jasmim, que arminhos desacata,
Essa aurora, que nácares aviva,
Essa fonte, que aljôfares deriva,
Essa rosa, que púrpuras desata;

Troca em cinza voraz lustrosa prata,
Brota em pranto cruel púrpura viva,
Profana em turvo pez prata nativa,
Muda em luto infeliz tersa escarlata.

Jasmim na alvura foi, na luz Aurora,
Fonte na graça, rosa no atributo,
Essa heróica deidade que em luz repousa.

Porém fora melhor que assim não fora,
Pois a ser cinza, pranto, barro e luto,
Nasceu jasmim, aurora, fonte, rosa.


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 05/02/2014 13:44  Atualizado: 05/02/2014 13:45
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: À morte de F.
Olá usuários, estou fazendo pesquisa sobre a biografia deste autor, quem puder ajudar com alguma informação, eu agradeço desde já. Não consegui encontrar uma foto dele ainda.

Helen.

Links patrocinados

Visite também...