https://www.poetris.com/
Gregório de Matos : Soneto - Carregado de mim ando no mundo
em 26/05/2014 19:34:00 (3427 leituras)
Gregório de Matos

Carregado de mim ando no mundo,
E o grande peso embarga-me as passadas,
Que como ando por vias desusadas,
Faço o peso crescer, e vou-me ao fundo.

O remédio será seguir o imundo
Caminho, onde dos mais vejo as pisadas,
Que as bestas andam juntas mais ousadas,
Do que anda só o engenho mais profundo.

Não é fácil viver entre os insanos,
Erra, quem presumir que sabe tudo,
Se o atalho não soube dos seus danos.

O prudente varão há de ser mudo,
Que é melhor neste mundo, mar de enganos,
Ser louco c'os demais, que só, sisudo.


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 26/05/2014 19:40  Atualizado: 26/05/2014 19:40
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2119
 Re: Soneto - Carregado de mim ando no mundo
Já faz 318 anos da sua passagem neste mundo e, ainda assim, os versos de Gregório continuam atuais.

Uma ótima leitura para todos.

Helen.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/07/2014 14:56  Atualizado: 11/07/2014 14:56
 Re: Soneto - Carregado de mim ando no mundo
estradas batidas oferecem segurança, conforto e a solidão da gota no oceano

Sensacional

Links patrocinados

Visite também...