https://www.poetris.com/
Eugénio de Andrade : O Amor
em 06/10/2014 20:06:30 (2906 leituras)
Eugénio de Andrade

Estou a amar-te como o frio
corta os lábios.

A arrancar a raiz
ao mais diminuto dos rios.

A inundar-te de facas,
de saliva esperma lume.

Estou a rodear de agulhas
a boca mais vulnerável

A marcar sobre os teus flancos
o itinerário da espuma

Assim é o amor: mortal e navegável.



Eugénio de Andrade, in "Obscuro Domínio"


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/10/2014 03:47  Atualizado: 21/10/2014 03:47
 Re: O Amor
é tão bonito e profundo q até cai no chavão de ficar sem palavras.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/03/2015 20:50  Atualizado: 28/03/2015 20:50
 Re: O Amor
Gosto da ferocidade
amar
cortar
arrancar
rodear
marcar
ser
que sequência de verbos...

Enviado por Tópico
taybrasil
Publicado: 13/11/2015 23:51  Atualizado: 13/11/2015 23:51
Novo Membro
Usuário desde: 17/10/2015
Localidade:
Mensagens: 2
 Re: O Amor
lindo. para acelerar meu coração partido só lindas palavras como estas.

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 22/04/2016 04:32  Atualizado: 22/04/2016 04:32
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14956
 Re: O Amor
Olá poeta

Realmente o amor é muito navegável
adorei seu poema

beijinhos

Links patrocinados

Visite também...