Artigos > Outros artigos > SUA POESIA É SUA

SUA POESIA É SUA

Publicado por Artigos Luso-Poemas em 10-Apr-2013 23:30 (1177 leituras)

Passeando os olhos em blogs literários na net, parei a vista no OSSOS DO OFÍDIO, do poeta e contista Marcelino Freire e li um texto de leitura ligeira e gostosa que fala da criação literária a partir da inspiração em grandes obras, da autenticidade, enfim. Espero que gostem tanto quanto eu gostei. Boa leitura!


SUA POESIA É SUA

21/03/2013 por MARCELINO FREIRE

Só existe um livro no mundo. Dizem. Os outros livros vêm sempre em segundo. São cópias desse primeiro livro. Tudo está, na verdade, sendo eternamente reescrito. Ave nossa! Certo. Eu entendo. Mas penso. A poesia, por exemplo, de Augusto dos Anjos é dele. Unicamente. Sim. Mesmo filho e herdeiro de leituras parnasianas, simbolistas. Somente ele, ora, lançou o olhar para uma dicção específica. Digo: focou ele seu espírito em uma língua paralítica. Maldita. Inaugurou, no Brasil, um repertório original. Raivosamente lírico. Meu Cristo! Como não dizer, a saber, que aquilo que escreveu Guimarães Rosa foi ele mesmo quem escreveu? E para valer? Foi a fala dele que se abasteceu do verbo do povo, do gesto do jagunço, do léxico dos Sertões. Claro que o autor mineiro bebeu na fonte de Euclides da Cunha. E na de gente mais antiga nesse mundo. Há testemunhas. Mas Rosa é dono do que fez. Ora, sem dúvida. Mergulhou profundo em várias culturas que ele, só ele, pôde traduzir. E fazer uso sem limite, enfim. E mais não digo. Mas pergunto. Meu amigo e minha amiga: e sua poesia como anda? Diz-me, ao pé do ouvido. Sua poesia é sua, de verdade? Você está consciente dos voos que dá na página? Do espaço que ocupa com cada palavra? Dos verbos que escolhe? Tem lido bastante, meu jovem, minha jovem? Quais poetas costuma visitar? Já roubou quem hoje? Se roubou, o que pôs, então, no lugar? Reexplico: tudo é seu quando você sabe o que está fazendo. Quando há intensidade na sua entrega. Quando você carrega, feito formiga, um pouco de cada coisa por aí espalhada. De cada obra que leva para casa, você bem sabe o nome. É capaz de reconhecer o sinal. De que maneira, visceral, a poesia do outro tocou no seu peito. Não tem jeito. Somos feitos do que foi feito. E agradecemos, quando escrevemos, a quem nos ajudou nessa busca. Infinita. Por uma voz só nossa. Um jeito só nosso. E de mais ninguém. De estar na vida. De sentir quando a alma de nossa arte segue. Além.

http://marcelinofreire.wordpress.com/


Navegue pelos artigos
Artigo anterior Blogues de Luso-Poetas
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
velhopescador
Publicado: 12/04/2013 17:22  Atualizado: 12/04/2013 17:22
Colaborador
Usuário desde: 01/03/2013
Localidade: Marília-SP Brasil
Mensagens: 1098
 Re: SUA POESIA É SUA
É isso!
Da mesma forma que eu sou meu pai, mãe, avós, tios, amigos, irmãos!
Eu posso juntar um pouco de tudo e ser eu mesmo,
ou posso simplesmente, escolher um deles para ser.
A quem eu imito?
No que eu faço, o que vem, realmente, de mim?

Abraço.
><>

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 23/04/2013 01:27  Atualizado: 23/04/2013 01:27
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3541
 Re: SUA POESIA É SUA
Eita menino! Marcelino Freire arrasa!
e vou responder, minha poesia tenta ser minha ao menos. Tenta passar a minha verdade, com o meu modo de olhar. E bebo, bebo muito em fontes várias. Bora ler meu povo!!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/10/2014 23:47  Atualizado: 14/10/2014 23:47
 Re: SUA POESIA É SUA
p-e-r-f-e-i-t-o!

Enviado por Tópico
Chou
Publicado: 13/02/2017 17:47  Atualizado: 13/02/2017 17:47
Da casa!
Usuário desde: 01/02/2017
Localidade:
Mensagens: 452
 Re: SUA POESIA É SUA
E do mundo também e além.

Links patrocinados