https://www.poetris.com/

Gondomar - Portugal

Publicado por Pedra Filosofal em 06-Sep-2009 11:10 (2051 leituras)

A Lugar da Palavra vai apresentar ao público o primeiro livro de poesia de Aurélio Mesquita, re_conhecido artista plástico, designer e ilustrador, que se estreia no campo literário com OS ANÉIS DE SATURNO e outras palavras, onde às palavras Aurélio Mesquita junta algumas ilustrações da
sua autoria.
O lançamento acontece já no próximo dia 10 de Setembro, pelas 21.30horas,
na Feira do Livro de Gondomar, a ter lugar no Largo do Souto, em Gondomar
- S. Cosme.
A entrada é livre... e aconselhável.

Título: Os Anéis de Saturno
Autor: Aurélio Mesquita
Ilustrações: do autor
Género: Poesia
Nº de Páginas: 64
ISBN: 978-989-8255-14-3
PVP: 9,45€

AURÉLIO MESQUITA nasceu no Porto em Outubro de 1952, mas viveu na
província até aos 11anos de idade, começando a trabalhar muito jovem.Com
diversa formação em Pintura e Artes Gráficas, frequentou a Escola de Belas
Artes do Porto. Faz criação gráfica e ilustração de livros infantis e
escolares para editoras do Porto e Rio Tinto. Ao longo de mais de duas
décadas, tem participado com entusiasmo na dinamização de inúmeros eventos
artísticos-culturais. Sempre sensível à palavra escrita, em tempos
escreveu temas de arte e cultura em diversos órgãos de informação escrita,
assim como colaborou com grupos locais de leitura de poesia. Em 2003,
publicou o livro XYWH, onde exibe uma colectânea de ilustrações e
fotografia de sua autoria. Como exercício da paixão, dedica-se à Pintura e
Fotografia, tendo já realizado inúmeras exposições individuais e
colectivas.

O LIVRO
Os astros são palavras outras que dão título a um livro que encerra em si
duas décadas de produção dispersa e despreocupada. Quem conhece o autor,
sabe que o pincel sempre foi complemento mais fiel da sua mão do que a
pena. Não obstante, a poesia transfere-se para a tela se por poesia
entendermos produção estética e efusão de sentimentos. Nesta perspectiva,
entende-se o efeito de crisálida da poética de Aurélio Mesquita e do seu
intento de tonificar, com igual valor, todas as fases da vida: desde o
estado larvar ao, dito, apogeu do belo.
Do inatingível e distante Saturno e dos seus anéis ao des_amor próximo,
mas igualmente distante, o poeta privilegia, quase sempre, o pormenor, as
pequenas coisas que quase passam despercebidas, mas não aos olhos atentos
e acutilantes do autor _e a filosofia, essa, não a ponho de parte,
corrompo-me com ela._
Serão memórias? Reflexões? Talvez... Saturno não responde e, por vezes,
até o poeta se interroga se só ele lê a sua palavra. Mas são, certamente,
palavras profusas de significado, de alcance. Que, felizmente, o autor
ousa agora partilhar com todos nós.

O lançamento acontece já no próximo dia 10 de Setembro, pelas 21.30horas,
na Feira do Livro de Gondomar, a ter lugar no Largo do Souto, em Gondomar
- S. Cosme.
A entrada é livre... e aconselhável.

Título: Os Anéis de Saturno
Autor: Aurélio Mesquita
Ilustrações: do autor
Género: Poesia
Nº de Páginas: 64
ISBN: 978-989-8255-14-3
PVP: 9,45€

AURÉLIO MESQUITA nasceu no Porto em Outubro de 1952, mas viveu na
província até aos 11anos de idade, começando a trabalhar muito jovem.Com
diversa formação em Pintura e Artes Gráficas, frequentou a Escola de Belas
Artes do Porto. Faz criação gráfica e ilustração de livros infantis e
escolares para editoras do Porto e Rio Tinto. Ao longo de mais de duas
décadas, tem participado com entusiasmo na dinamização de inúmeros eventos
artísticos-culturais. Sempre sensível à palavra escrita, em tempos
escreveu temas de arte e cultura em diversos órgãos de informação escrita,
assim como colaborou com grupos locais de leitura de poesia. Em 2003,
publicou o livro XYWH, onde exibe uma colectânea de ilustrações e
fotografia de sua autoria. Como exercício da paixão, dedica-se à Pintura e
Fotografia, tendo já realizado inúmeras exposições individuais e
colectivas.

O LIVRO
Os astros são palavras outras que dão título a um livro que encerra em si
duas décadas de produção dispersa e despreocupada. Quem conhece o autor,
sabe que o pincel sempre foi complemento mais fiel da sua mão do que a
pena. Não obstante, a poesia transfere-se para a tela se por poesia
entendermos produção estética e efusão de sentimentos. Nesta perspectiva,
entende-se o efeito de crisálida da poética de Aurélio Mesquita e do seu
intento de tonificar, com igual valor, todas as fases da vida: desde o
estado larvar ao, dito, apogeu do belo.
Do inatingível e distante Saturno e dos seus anéis ao des_amor próximo,
mas igualmente distante, o poeta privilegia, quase sempre, o pormenor, as
pequenas coisas que quase passam despercebidas, mas não aos olhos atentos
e acutilantes do autor _e a filosofia, essa, não a ponho de parte,
corrompo-me com ela._
Serão memórias? Reflexões? Talvez... Saturno não responde e, por vezes,
até o poeta se interroga se só ele lê a sua palavra. Mas são, certamente,
palavras profusas de significado, de alcance. Que, felizmente, o autor
ousa agora partilhar com todos nós


Navegue pelos artigos
Artigo anterior Bruno Resende Ramos, publica "Os Segredos do Pergaminho" em antologia sobre vampiros Porto - Portugal Artigo seguinte
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Links patrocinados