Poemas : 

Relógio

 
Horas que passam na pressa de passar,
minutos que arrastam as voltas do voltear,
vivos segundos que saltam, saltitam sem sossegar.

Relógio meu que bem tentas me apressar
mas só serves para me matar
com a fúria numérica do teu vogar

Pára!

Deixa-me

Não vês que não te quero acompanhar!?



NR

 
Autor
nunorita
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2227
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paulo Afonso Ramos
Publicado: 04/07/2007 18:56  Atualizado: 04/07/2007 18:56
Colaborador
Usuário desde: 14/06/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2080
 Re: Relógio
Olá nunorita

Direi que do relógio nasce a hora da poesia.
Gostei e é diferente, intenso!
Parabéns

Abraço


Enviado por Tópico
Paloma Stella
Publicado: 05/07/2007 12:08  Atualizado: 05/07/2007 12:08
Colaborador
Usuário desde: 23/07/2006
Localidade: Barueri - SP
Mensagens: 3514
 Re: Relógio
Acompanhar o relógio realmente não é fácil.
Por vez queremos ele bem devagar, e as vezes o queremos bem rápidinho.

Seria bom se comandássemos o tempo, e os relógios também.

Beijinhos


Enviado por Tópico
João Filipe Ferreira
Publicado: 06/07/2007 12:25  Atualizado: 06/07/2007 12:25
Colaborador
Usuário desde: 08/10/2006
Localidade: Lavra-Matosinhos
Mensagens: 1046
 Re: Relógio
Gostei mt deste conjunto de palavras. De facto vivemos imenso a pensar e em funcção do relógio. Tb é inevitável no entanto por vezes perdemos a noção da vida a passar e perdemos a capacidade de aproveitar momentos por causa do "relógio".
sempre que possivel é evitar olhar para este por vezes mau companheiro.
grande abraço:)