https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Esperança : 

NAS GRUTAS ESCURAS DO DESALENTO

 
Nas grutas escuras do desalento
Ecos desconcertantes
Nos invadem a alma
Nos corrompem a razão
Nos devoram os sentidos
Confundem as emoções.

Nas grutas escuras do desalento
Onde a inquietação impera
E a solidão nos corrói
Raios de luz, imergem
Iluminando o nosso caminho
Nestas grutas cor de breu.

Nas suas entranhas fecundas
Nas suas paredes rochosas
Nascem raízes
Que se multiplicam
Se espalham no chão
De terra quente e fértil
Nascendo árvores floridas
Dando cor, perfume, alegria
Á penumbra da escuridão.

Gil Moura (Mário Margaride)



As palavras saem de dentro de nós, e se dispersam indefinidamente, no tempo e no espaço...

Gil Moura Pseudónimo de Mário Margaride

 
Autor
Moura365
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2913
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
7
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/07/2010 14:09  Atualizado: 18/07/2010 14:09
 Re: NAS GRUTAS ESCURAS DO DESALENTO
Volto a repetir poeta amigo. Este é sem duvida um dos teus melhores poemas. Tanto gostaria de ter sido eu a escreve-lo

Soberbo

Beijo azul


Enviado por Tópico
varenka
Publicado: 18/07/2010 14:44  Atualizado: 18/07/2010 14:44
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2009
Localidade:
Mensagens: 4210
 Re: NAS GRUTAS ESCURAS DO DESALENTO
Gil,
Sempre que tu voltas,traz um poema valioso!
Gosto muito da pessoa e do poeta que tu és.

Beijinhos em ti!


Varenka


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/07/2010 15:00  Atualizado: 18/07/2010 15:00
 Re: NAS GRUTAS ESCURAS DO DESALENTO
Que lindo poema...cheio de sentidos e intensidades que visualizei...
Beijos grande, poeta Mário.


Enviado por Tópico
lfracalossi
Publicado: 08/08/2010 20:00  Atualizado: 08/08/2010 20:00
Da casa!
Usuário desde: 03/05/2009
Localidade: Campo Grande -MS -Brasil
Mensagens: 447
 Re: NAS GRUTAS ESCURAS DO DESALENTO
Momentos da vida... Tantas vezes nos encontramos "Nas grutas escuras do desalento" e, oxalá termos sempre a força necessária para, deles, fazer brotar árvores floridas e nascer dias ensolarados...
Lindo texto Gil!
Parabéns!!!
Beijos