Poemas -> Esperança : 

RENASÇO

 
Ouço o silêncio que fala…
Envolto na penumbra das palavras
Acordo o som que me atormenta
E me castra os sentidos.

Vejo nascer o Sol…
Por entre a bruma
Rasgo horizontes ofuscados
Pelo tédio
E a melancolia
Liberto-me da lama
E das areias movediças.

Grito no deserto da multidão
Que me envolve e asfixia.

Renasço do silêncio
Do barulho do nada
Que se imobiliza
Que não se vê
Que não se ouve
Que não sente…

Desnudo-me do marasmo em que existo
Renasço das cinzas…
Da minha morte.

Gil Moura (Mário Margaride)


As palavras saem de dentro de nós, e se dispersam indefinidamente, no tempo e no espaço...

Gil Moura Pseudónimo de Mário Margaride

 
Autor
Moura365
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1315
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 13/08/2010 20:27  Atualizado: 13/08/2010 20:27
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: RENASÇO
Vem até nós
ó voz
do imenso
silencio!...

Um abraçooo Mário!

Abilio*


Enviado por Tópico
rosa-branca
Publicado: 15/08/2010 00:19  Atualizado: 15/08/2010 00:19
Colaborador
Usuário desde: 24/05/2010
Localidade:
Mensagens: 739
 Re: RENASÇO
Olá amigo Mário, é sempre bom renascer... é preciso renascer... é necessário viver, para não morrer outra vez... Embora nostalgico o teu poema, gostei muito. Beijos com carinho


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/08/2010 00:28  Atualizado: 15/08/2010 00:28
 Re: RENASÇO
Meu querido amigo,Mário!

Teu poema está lindo nesta esperança que faz o teu ser sempre renascer...és um guerreiro que nunca se dá por vencido...amei!

Agradeço a linda visita!

Beijinhos ternos e carinhosos de tua amiga,

Sarauny