https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Pesadelo (só poesia)

 
São lágrimas de sangue aquelas que choro
quando tu desdenhas e ris do que imploro
quando pões defeitos até no que comes
e viras as costas na cama onde dormes

São lágrimas de sangue aquelas que correm
p´lo rosto tristonho onde as rugas dormem
e o verde dos olhos tornou-se vermelho
não tendo coragem de olhar o espelho

São lágrimas de sangue, alma ressequida
sem nada que mate a sede de vida
Do rio cristalino que o tempo secou

É voz de poeta sumida e cansada
eco na montanha perdido no nada
"querer" que a maldade desfez e anulou...


Célia Santos

 
Autor
celiacc
Autor
 
Texto
Data
Leituras
617
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
carolcarolina
Publicado: 29/07/2010 11:43  Atualizado: 29/07/2010 11:43
Colaborador
Usuário desde: 24/01/2010
Localidade: RS/Brasil
Mensagens: 9297
 Re: Pesadelo (só poesia)
Querida Amiga
Poetisa Celia!

Um poema realmente triste!
Mas não conseguimos agradar a todos.
Contudo, acho que não deves deixar a maldade desfazer nada, não deves deixar a tua voz de poeta sumir.
Bjinhos extensivos ao teu amado filho Rui.
♫Carol

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/07/2010 14:20  Atualizado: 29/07/2010 14:20
 Re: Pesadelo (só poesia)
Célia, bom dia.

Um poema muito forte. Muito sentido.

DEsejo o melhor para ti poetisa, tudo de bom, e apesar de conhecer pessoalmente o Rui, mas envio um abraço pra ele tambem.

Beijo

Rosangela