https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

SINA

 
Farol apagado,
que o vento fustiga,
calado, abriga
a memória da luz,
o segredo pungente
de outras marés.

Hoje só está:
rochedo morto,
de corpo presente,
rebentam-lhe aos pés
gotas de outros luares,
sonhos de outros mares
que nunca iluminará.

 
Autor
AuroraRosado
 
Texto
Data
Leituras
950
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
8
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/07/2010 06:49  Atualizado: 30/07/2010 06:49
 Re: SINA
Fica na lembrança os caminhos que este farol agora apagado outrora iluminou. Tudo tem o seu tempo e nesta sina brilharão sempre as memorias de algo grandioso. A sina! A da vida que se vai apagando ficando o pó do rochedo que nos deu luz!

Vou guardar este colosso poetico

Beijo azul


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 30/07/2010 07:53  Atualizado: 30/07/2010 07:53
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: SINA
Ontem favoritei, mas era tarde não deixei uma palavrinha, porém agora não resisti.
Nas horas tristes em que a saudade nos turva a vista lá bem no horizonte sempre insiste uma luzinha desse farol quase extinto..

beijo


Enviado por Tópico
mariagomes
Publicado: 04/08/2010 11:08  Atualizado: 04/08/2010 11:08
Colaborador
Usuário desde: 18/04/2010
Localidade:
Mensagens: 1614
 Re: SINA
Olá amiga, um farol apagado mesmo assim ilumina, gostei de ler esta sina.
beijinhos
mariagomes


Enviado por Tópico
aurelia.coutinho
Publicado: 05/08/2010 00:21  Atualizado: 05/08/2010 00:21
Muito Participativo
Usuário desde: 14/07/2010
Localidade:
Mensagens: 69
 Re: SINA
Farol apagado porém imponente, rochedo morto, porém inabalável.

Beijos
Lia