https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

simples

 
,não, não era hora de artificialidades. nos entregamos aos atos puros e simples da cópula. os gemidos eram grunhidos mesmo, que não precisavam ser verbalizados. pequenos maus tratos comungados, nos pontos de atritos permaneceriam bem depois da rotação normalizada dos pulsos. e ainda era cedo da noite. assim como estávamos, rumo ao nosso quarto, big bang do dia, faziam ventre pra nós, a terra e céu..até o próximo cio das nossas vontades..


,,,mas Deus gosta de ser assim também, na forma de Eu!

 
Autor
joakencor
Autor
 
Texto
Data
Leituras
460
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.