https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Nas pausas dos dedos

 
Soltam-se dos meus pés
as palavras doridas
de uma dança
cicatrizada pelas margens
sonantes de uma estrada
empedrada…
Nas pausas dos dedos
descem as pedras
que agasalho
como flores para ornar
o meu canteiro
na porta da frente…
Onde a varanda dos instintos
é elevada ao anil
que cobre todos os pedaços da terra,
a terra que me agracia
com aromas tão intensos
como os dos bosques
de malmequeres silvestres!


Ana Coelho
Os meus sonhos nunca dormem, sossegam somente por vagas horas quando as nuvens se encostam ao vento.
Os meus pensamentos são acasos que me chegam em relâmpagos, caem no papel em obediência à mente...

 
Autor
AnaCoelho
Autor
 
Texto
Data
Leituras
534
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 15/07/2011 22:43  Atualizado: 15/07/2011 22:43
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Nas pausas dos dedos
Aninha,
Sente-se aqui o aroma adocicado da tua excelente poesia.
Beijinho
Nanda

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 16/07/2011 03:13  Atualizado: 16/07/2011 03:13
 Re: Nas pausas dos dedos
nas pausas dos dedos fica um vazio por preencher até surgir nova obra mesmo que dolorosa.

Muito bom o teu poema, Ana!

Beijo azul

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 16/07/2011 14:30  Atualizado: 16/07/2011 14:30
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9285
 Re: Nas pausas dos dedos
Bom dia, Ana, seus versos ficaram encantadores, nesta narrativa de alguém que se encanta com as belezas da natureza, parabens pelo seu belo poema, MJ.