https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

CONJECTURAS OUTONAIS

 


Ventos rudes de Outono, gemidos
de folhas secas, aos pés calcadas,
chamando pelo Inverno…
Inevitável cessar, para reaparecer
do fundo do desconhecido, impenetrável
que das águas revoltas vai renascer!

Surpresas volatilizadas em crença
essências chamejantes… cintilantes
como lenha escarlate estalando,
com fragrâncias intensas de pinheiro
em seiva em catadupa deslizando!

Tudo soa, ecoa, tange e vibra
entre as paredes de um escaninho
esculpido em massa de enternecimento
devagar, suavemente de mansinho!
Por acção dos elementos essenciais
misturados num húmus vital
transmutação física recôndita
trabalho de mãe Gaia fundamental!

um dia o assombro, o misterioso prodígio
das profundezas da terra se soltará em graça
no esplendor esfuziante do seu desígnio!

2011

 
Autor
MarisaSoveral
 
Texto
Data
Leituras
715
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
3
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 15/11/2011 12:27  Atualizado: 15/11/2011 12:27
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: CONJECTURAS OUTONAIS
Querida, posso dizer (aos pés deste poema)que desenhas com a ponta da alma em pincéis suaves como aquarela. beijos

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 15/11/2011 17:25  Atualizado: 15/11/2011 17:25
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: CONJECTURAS OUTONAIS
Um poema excelente!

Beijinho.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 09/02/2012 17:57  Atualizado: 09/02/2012 17:57
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: CONJECTURAS OUTONAIS
Muito bonito seu poema, só encontrei hoje, parabéns pela sensibilidade da sua escrita.

Helen De Rose.