https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Tempo que arde

 
Passa como o cigarro que arde,
Desgarrado num qualquer cinzeiro esquecido.
Arde o cigarro, bate o ponteiro do relógio,
Estático relógio do lume que arde.

Arde o cigarro contínua e pausadamente,
Bate a hora, move-se o ponteiro, apaga-se o cigarro.
O Cigarro e o tempo do relógio que não avança.
O ponteiro dança, o cigarro acende-se, o fumo avança...

Avança alado como o relógio iludido pelo tempo que passa.


Marco Mendes

 
Autor
Marco061984
 
Texto
Data
Leituras
336
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.