https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Pela eternidade afora

 
Num abraço silencioso na madrugada
Dar-te-ei o meu amor, sem reservas
Entregar-te-ei nas mãos um coração
Que doravante será sempre seu
Mas as lagrimas...
Essas serão somente minhas...

Tornar-me-ei silêncio em doce poesia
E com o amor na mais eloquente prosa
Serei eu mesmo os versos que ainda não criei
Serei o amor que ainda não encontrei
Vagarei da motivação ao desinteresse completo
E caminharei por entre sentimentos
que em mim mesmo, silenciei...

Perder-me-ei em teus olhos
E não te verei nos meus
Perceber-me-ei então sozinho
Com lagrimas que são somente minhas
Como uma nuvem em um céu límpido
Desfazendo-se em gotas
Encharcando-me a alma
E dela extraindo todo o amor
Que um dia desejei sozinho

Descobrirei então em mim mesmo um amor
Que na vida, nunca busquei...
E quando da consciência de meu ser
Tornar-me plena a existência
Transmutarei a melancólica tristeza
Em nostálgica alegria
E silenciarei doravante
Não de tristeza, mas de saudade
De minha própria vida
Que ainda não conhecia

 
Autor
xclaudiojp
 
Texto
Data
Leituras
656
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
1
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Junior A.
Publicado: 11/01/2012 16:32  Atualizado: 11/01/2012 16:32
Colaborador
Usuário desde: 22/02/2006
Localidade: Mg
Mensagens: 894
 Re: Pela eternidade afora
Quanta grandeza Poeta, disseste tudo sem reticências, límpido e claro aos felizes olhos daqueles que o leram, ainda o lerão. Perfeito poema, parabéns.