https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

INVASÃO DE UM AMOR COVARDE

 
Open in new window


Há a minha sina de hoje, me partir...,
...A transformar-me em um caco humano;
Pois, mais que aqui a vida venha me fluir,
Minha mente é em culpa / a de um vil profano.

Rasguei a consciência e lhe trouxe dores,
Usurpei o seu corpo e mostrei o meu eu animal;
Mesmo ao prazer, só eu sou o dos sofredores,
A praga a quem te desvirginou de forma letal!

Abandonei esse amor que era pra ser só meu,
Deixei-a na ilusão por jura e falsidade,
Roubei tua esperança a quem te prometeu...

...Hoje eu sinto; foi crueldade o que eu fiz!
A minha honra de ti por mim morreu,
Sepultaste meu amor covarde e infeliz!


Salvador Zimermann dali


Salvador Zimermann Dali

 
Autor
SURREALISMO
 
Texto
Data
Leituras
2371
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
EuniceContente
Publicado: 30/03/2012 16:15  Atualizado: 30/03/2012 16:15
Colaborador
Usuário desde: 05/07/2009
Localidade:
Mensagens: 532
 Re: INVASÃO DE UM AMOR COVARDE
Natureza Morta

As lagrimas não correm
Os passaros não cantam
O sol não brilha o suficiente
e todas as cores sifnificam o fim...
...

:) Muito Bom!