https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O Carcereiro

 
Tenho o rosto bem vendado
E uma mordaça nos dentes
Cordas de abraço apertado
E nos pés tenho correntes

Estou numa cave escura
Bem enrolada num canto
O chão é de pedra dura
A minha alma é um pranto

Vagueando em meu redor
Anda o Carcereiro-Mor
Sabendo que me venceu

A venda cai; num lampejo
Aterrorizada, vejo
Que o carcereiro sou Eu


Marta Fonseca

 
Autor
Ophis
Autor
 
Texto
Data
Leituras
789
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 27/09/2014 14:43  Atualizado: 27/09/2014 14:43
 Re: O Carcereiro
impressionante tão impressionante q minha imaginação viu tudo, vc escreveu tanta realidade q pularam na minha mente um monte de interrogações,rsrsrs, mas fiquei admirando a sua força,a coragem de analisar a si mesma tão profundamente e ter consciência das mentiras emocionais q a nossa mente pode inventar e impor a nós mesmos e se n ficarmos ligados caímos de verdade nessa esparrela e é difícil pra caramba sair dessa armadilha, muito bacana sua poesia.