https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

… (a) (té) …

 
Tags:  dor  
 
O tempo dita (a) dor … e morremos a tentar escrever no coração de alguém, “amor” sem erros, ou então a corrigir amor(té) dos sentimentos … (a) (té) …
.__________________Não Há[Ver]


Dor que se entranha nas entranhas do silêncio
Dor que não perdoa o tempo gasto na escuridão dos sonhos…
Dor que corrói o espaço que deveria ser teu
Dor de um amor que devia ser salvo da surdez cega do afecto …
Dor simplesmente dor, imergida de um telhado que só protege o veneno do inferno …


Que importa o tempo acompanhado se mal aproveitado ….
Que importa o nosso estado se o ser amado está emigrado debaixo do nosso tecto …
Que importa estarmos casados se há muito a nossa história é feita de parágrafos de linhas soltas …que desfiguram as palavras e tornam as frases ocas …

Que importa o lar, se existem grades em vez de pontes, a delinear os corações …
Que importa se já pouco importa a nossa esperança, de reutilizar as algemas em alianças ….

…(a) (té)…
___ver


…(a) (té)…
___ver


Open in new window









“… estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar.”
Escrevia assim o grande Chico Xavier, no entanto, também sinto que trocamos de lugar quando é preciso …



 
Autor
Alderbaran
 
Texto
Data
Leituras
645
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 24/06/2012 06:49  Atualizado: 24/06/2012 06:49
Colaborador
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Fortaleza - Lisboa
Mensagens: 3720
 Re: … (a) (té) …
hum... gostei imenso da forma,
…(a) (té)…
___ver

como se fosse uma pintura que de abstrata se transforma "a tentar escrever no coração de alguém", como se a escrita tivesse de ter transformações,
"(é) Dor (a) (té) … .__________________Não Há[Ver],
dor do silêncio,
que importa (se é) simplesmente dor
(ou que existam) grades em vez de pontes, a delinear os corações …"

Sabe Poeta fiquei-me na dúvida entre o desabafo e desejo em redesenhar o "amor", deixo-lhe o que me ocorreu "As manhãs" de Daniel Faria:
"Das manhãs
Apenas levarei a tua voz
Despovoada
Sem promessas
sem barcos.
E sem casas
Não levarei o orvalho das ameias
Não levarei o pulso das ramadas
Da tua voz
Levarei os sítios das mimosas
Apenas os sítios das mimosas
As pedras
As nuvens
O teu canto
Levarei manhãs E madrugadas"

O seu texto é Excelente. parabéns. Obrigado.

Abraço-te

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 08/07/2012 04:04  Atualizado: 08/07/2012 04:04
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: … (a) (té) …
Não sem antes prender a respiração
ao te ler... obrigada. bjs