https://www.poetris.com/
Poemas : 

aqua

 
água, inodora e sem sabor
misteriosa condição
tão idêntica ao amor
água, bela única e vital
sonho vivo, rua clara
levada que consola
música, dança, oração rara
água irmã do arco-íris
de todas as cores que lembro
chuva com raiz nos céus
onde se colhe setembro
água, nossa sede de cumprir
o destino, a mudança
azul profundo da lágrima
sobre um rosto de criança




água, sede de escrever por sobre um rio
 
Autor
RoqueSilveira
 
Texto
Data
Leituras
69
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
17 pontos
1
4
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 24/05/2020 23:26  Atualizado: 24/05/2020 23:32
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1693
 Re: aqua
Tenho um poema da água muito diferente do teu.
A tua inodora, insalobra e incolor leva-me aos tempos em que dava explicações aos miúdos do primeiro ciclo, de estudo do meio para lhes lembrar como é a água potável.
Boas lembranças.
Onde há água há vida.
Há vida no teu poema, na aqua, e nos versos.
É uma esparsa em forma de coluna, e a mancha gráfica é toda muito direita.
Uma trave mestra, sólida, robusta, assim à primeira vista.

"...água irmã do arco-íris..." sumete-me muito ao ciclo da água, à água em vários estados, moldável, colorida.
É um dos 4 elementos primordiais e apresenta-se nos 3 estados: sólido, líquido e gasoso.
Comandando a sede que tantas vezes mata, é também simbólica na superação dos desejos mais profundos a que associamos a sede de... viver, amar, vingança, tantas...

O "azul" é mesmo a cor com que mais facilmente identificamos, porque convenhamos, não á nada fácil de pintar transparente.
É um símbolo da transparência, também, da sinceridade, da verdade.

Universal e nunca velho o teu tema.

Obrigado