Poemas : 

Verso de criança-Neila Costa

 
Tags:  esperança    criança    verso  
 


Open in new window


Neila Costa




Logo cedo,
Corre sem enredo
E sem medo,
Pelas linhas do papel.

No casulo,
Lar da imaginação,
Sai o vocábulo
Em conteúdo diverso,
Livre de preceito,
E é sempre o eleito
Por esse universo.

Verso de criança,
De tenra pureza,
Não liga, do poema,
A aparência
Da qual se veste,
- exímia inocência!
De palavra nua,
Sem exigência,
Descalça de tristeza
E violência.

Verso de criança,
Corre como
Um rosto em riso
Sob a chuva!

Verso de criança
São ideias de mel
Que saem em prosa
Pelas linhas do papel.
Corre aos pulos
Como um corcel,
Sob o cuidado
E amor puro,
Que vem do céu
Fazendo-se fiel
Às histórias de cordel.

Verso de criança
É como pirraça
Que vem a tropel,
Pulando com graça,
Da mente para o papel.



Sou o Ontem vestida no Hoje
que no Agora em que transponho
sentimentos em algo real do instante,
transcrevo o que sou ou quem fui
fora de hora.
Sou o Eu Vestida nas Horas,
que escorre pelos Minutos
e Segundos que se vão afora.
Neila Cos...

 
Autor
NCosta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2184
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 08/11/2012 22:16  Atualizado: 08/11/2012 22:16
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 10200
 Re: Verso de criança-Neila Costa
Boa noite Neila, a criança não faz um juízo sobre o que escreve, apenas transcreve o que lhe vem a mente, e como esta ainda é desprovida de maldades, via de regra produzem versos inofensivos, Parabéns pelo seu envolvente poema, um grande abraço.MJ.