https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

TEU NOME... LUISA

 
A neve caíu!
Os prados estão branquinhos
Como os nossos cabelos
Que já estão vélhinhos.
Junto à lareira
Aqueço meus pensamentos,
Penso à feiticeira
Que enfeitiçou meus tempos.
Teu nome... Luisa!
Como vês, não esqueci.
Tu és ainda a brisa
Onde me envolvi.

Nas casinhas baixas, lá no Cacém
À linha do caminho de ferro, paralelas,
Morava o meu amor, meu bem.
Que me esperava atraz das janélas.

A água salgada aos domingos de manhã
Nos acariciava como por magía.
Não esquecerei a Praia das Maçãs
Onde tu e eu, passavamos o dia.

A neve caíu.
Os prados estão branquinhos
Como os nossos cabelos
Que já são vélhihos.
Junto à lareira
Aqueço meus pensamentos
Penso à feiticeira
Que enfeitiçou meus tempos.
Teu nôme... Luisa
Como vês, não esqueci.
Tu és ainda a brisa
Onde me envolvi.

Na água revolta do Oceano
Mergulhámos a nossa juventude.
Na crista das ondas, como sopranos,
Cantávamos amor, lá na altitude.

O para-sol fechou, não há mais verão.
O nosso amor acabou, não mais te vi.
Hoje , ainda não sei qual a razão
Mas o meu amor ficou, não te esqueci.

A. da fonseca



SOU COMO SOU E NÃO COMO OS OUTROS QUEIRAM QUE EU SEJA

Sociedade Portuguesa de Autores a Lisboa
AUTOR Nº 16430
http://sacavempoesia.blogspot.com em português
http://monplaisiramoi.eklablog.com. contos para as crianças de 3 à 103 ans
http://a...

 
Autor
Alberto da fonseca
 
Texto
Data
Leituras
7809
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 05/12/2007 17:37  Atualizado: 05/12/2007 17:37
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: TEU NOME... LUISA
Entro em contacto pela primeira vez com este amigo poeta a quem desde já desejo um feliz entrada neste espaço de nobre e agradável convívio e partilha.Tenho por regra comentar um texto, dos muito que vou lendo, quando apenas me diz alguma coisa.O estilo e o tema agradam-me!Tanta ternura não será apenas da veia poética mas resultará, por certo, de muita saudade.
Um abraço.
hAp