https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Nada

 
Tags:  nada  
 
Nada

Tinha as mãos cheias de luz
e o caminho era longo a percorrer...
Acendi todas...
Ergui altares...
Chamei irmã à noite...
Quis morrer...

Ai, mas na noite ninguém ouviu meu choro
quando o altar caiu
e as tochas deixaram
de iluminar estradas...
As tochas apagadas
penumbras mortas ficaram-me nas mãos
vazias e paradas...

Maria Helena Amaro
Agosto, 1968
Menção Honrosa Concurso Fernando Pessoa - Braga.

http://mariahelenaamaro.blogspot.pt/2013/06/nada.html
 
Autor
amacsequeira
 
Texto
Data
Leituras
549
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 02/06/2013 13:31  Atualizado: 02/06/2013 13:31
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9241
 Re: Nada
Bom dia Maria Helena, quando fragilizados, tudo corrobora para o nosso panico total, Parabéns pelo seu contundente poema, eu te desejo um iluminado domingo, um grande abraço, MJ.