https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Dedicatória : 

Assento de óbito

 
Tags:  dor    morte    alzeihmer  
 
O verde cromático
Decreta-lhe o óbito
A vida vazia
Esgotava-se agora
Num caixão forrado
De uma paz indolor

Mas a morte chegou
Proclamando vitória
Assumiu-se heróina
Venceu a demência
E hasteou sozinha
a bandeira da libertação

Podemos fechar?

A cova respira
O corpo acomoda-se
a terra recebe-o
morna e terna
como uma mãe
Open in new window

Maria Fernanda Reis Esteves
53 anos
natural: Setúbal
 
Autor
Nanda
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1116
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
9
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JBMendes
Publicado: 01/09/2013 20:16  Atualizado: 01/09/2013 20:16
Colaborador
Usuário desde: 13/02/2010
Localidade:
Mensagens: 5222
 Re: Assento de óbito
Querida amiga NANDA - Um lindo poema para acabar com qualquer hipocondríaco crônico.
Um abração
JBMendes

Enviado por Tópico
Srimilton
Publicado: 01/09/2013 20:30  Atualizado: 01/09/2013 20:30
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2013
Localidade: Nenhuma
Mensagens: 1837
 Re: Assento de óbito
Maria Fernandes

Tentei escolher palavras para dizer deste belíssimo poema,
mas não achei.
Alguns poemas são assim, deixam as pessoas mudas.
Mil parabéns!

Um abraço!

Enviado por Tópico
DomingosdaMota
Publicado: 01/09/2013 21:53  Atualizado: 01/09/2013 21:53
Colaborador
Usuário desde: 15/05/2010
Localidade:
Mensagens: 836
 Re: Assento de óbito
Que a terra
lhe seja
leve


DM

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/09/2013 00:50  Atualizado: 02/09/2013 00:50
 Re: Assento de óbito
Muito belo e comovente!

A vida e morte, os dois lados da moeda do jogo da existência. Nesse caso em particular (tal doença) a lado da morte é bem vindo, libertador - vitória da compaixão ( muito bem delineada no texto).

Gostei muito! Parabéns!

Beijo, Nanda


ALICE

Enviado por Tópico
martims
Publicado: 02/09/2013 00:56  Atualizado: 02/09/2013 00:56
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: Assento de óbito
Momentos que se reservam a todos nós, com assento maiúsculo.

Enviado por Tópico
Betha Mendonça
Publicado: 02/09/2013 01:26  Atualizado: 02/09/2013 01:26
Colaborador
Usuário desde: 01/07/2009
Localidade:
Mensagens: 6741
 Re: Assento de óbito
Real e belo assento de óbito, Nanda!
A terra é útero
que guarda a pessoa e
se alimenta dela.
bjs



ps- tenho poema de primavera
onde a terra é útero

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 03/09/2013 04:33  Atualizado: 03/09/2013 04:33
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Assento de óbito
só não arranquem o colo do útero em descanso
meu cansaço... perfeito. beijo Nanda e levo.

Enviado por Tópico
velhopescador
Publicado: 05/09/2013 12:24  Atualizado: 05/09/2013 12:24
Colaborador
Usuário desde: 01/03/2013
Localidade: Marília-SP Brasil
Mensagens: 1098
 Re: Assento de óbito
Olá, Nanda.

A morte é uma despedida, um até breve, e deixa uma saudade gostosa quando fizemos o que podíamos, com amor.
Se pedirmos, o Espírito Santo traz a consolação nos dias maus.

Grande abraço
><>

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/01/2016 09:02  Atualizado: 03/01/2016 09:03
 Re: Assento de óbito
a cova respira e a chuva
acontece e daí, mãos à
à lama que a heroína ainda
há de ver outro mar
ou nem isso


eheh depende do grau de acomodação. rs.

olá Nanda, hoje fugi à misa dominical aqui na paróquia de Valbom e, cá estou eu no luso a ler uns poemas. gostei da leitura. obrigado por partilhar
um bom domingo para si. um abraço