https://www.poetris.com/
 
Textos -> Esperança : 

Á PARTE

 
À PARTE


Não existe milagre que desatole os pés do barro, quando observamos o sinal de "STOP" e continuamos a seguir por estradas errôneas. O recolhimento da alma faz parte do bem viver, estagna a mágoa, faz a canção se transformar em terapia no dia a dia.Estrelas heteronímicas retratam os sonhos como ninguém e há quem duvide da verdadeira alegria de sentir-se bem...

Demasiadamente alojados sentimentos - desgastam o novo, o conhecimento altera a carga emocional que traduz os sentimentos e emoções em versos postos em palavras legíveis. Sei que a dispersão absoluta da leitura faz parte de nossa juventude, construída sob as noturnas passagens dum universo irreal!

A imaginação nos traz a certeza minuciosa da vida que nos rodeia, repleta de propósitos, fundamentadas em grandes pensadores, folósofos e escritores, que se degladiavam para nos deixar escritos que nos levam à absorção de uma cultura maior. Ainda há várias versões que colaboram para o recolhimento d'almas para o canto translúcido do viver, seria esta a resposta às aflições tantas?

Uma figura amiga traz tanto bem ao nosso aconchego, que chego a pensar que só de camiseta, jeans, um tênis e um lanche qualquer seria mais feliz do que ficar embutida em mundos consumistas, que falcatruam a ordem humana de estar...

Os capítulos e, memórias grandiosas poderão ser adquiridas lá bem no fundo dos mares, que agregam peixes de diversas espécies e tantos outros que desconhecemos, São partículas do ser que precisam ser restabelecidas no coração, que mais precisa dar do que receber...

Luiza De Marillac Bessa Luna Michel


Luiza De Marillac Bessa Luna Michel

 
Autor
Lumarillac
 
Texto
Data
Leituras
926
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/07/2014 21:03  Atualizado: 20/07/2014 21:03
 Re: Á PARTE
As roupagens não têm importância! O que importa é a substancia, mantendo a constância, e sempre viva, a esperança!

Beijo