https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

VERSOS DE LAMPEJO

 
VERSOS DE LAMPEJO
 


Versos de lampejos
Iam pipocando na minha mente!
A caneta escrevia, escrevia,...
Seu bico de esferográfica já quente
E os versos pipocando na minha mente!
Eram versos de amor sonhado, de amor vivido,...
Versos ardentes e cheirosos de amantes!
Aí pipocaram versos doídos de separação:
Versos de lágrimas quentes sulcando as faces amantes!
De repente, os lampejos cessaram,
Versos não mais pipocaram!
Pipocou no meu peito o coração
Aumentando repentinamente a aceleração
Senti na face uma lágrima quente
E a caneta esferográfica já de bico frio
Na linha branca aguardando um verso que não mais surgiu!
O poeta sentiu cada verso que escreveu
Então, no poema se viu,
Exclamou: este poema sou eu!



Manoel De almeida

 
Autor
ManoelDeAlmeida
 
Texto
Data
Leituras
2546
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/11/2014 04:28  Atualizado: 17/11/2014 04:28
 Re: VERSOS DE LAMPEJO
Oi Poeta,a tamanha veracidade em suas palavras,fez com que eu acompanhasse cada suspiro e surpresa,desse movimento de vida a qual você tão bem traça em toda a conjunção em sua poesia,que busquei palavras que pudessem expressam à altura o que senti, o que compreendi da sua inspiração e fui buscar emprestado nas palavras do nosso já saudoso Manoel de Barros o seguinte:

«Que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balanças nem barômetros etc. Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós.»

É isso... Sua poesia encanta,não só pela verdade,pela singeleza,mas sobretudo pela sinceridade dos seus próprios sentimentos diante da sua observação da e na vida e como você permite que isso se reflita em você.

E quando aqui encerra sua poesia dizendo:

«(...)O poeta sentiu cada verso que escreveu
Então, no poema se viu,
Exclamou: este poema sou eu!»


Sim esse e todos os poemas que de você e em você nascem e vivem para sempre,vieram das mãos e do coração do Poeta e esse poeta com certeza é você,que para mim é um privilégio ter a oportunidade de ler e aprender.
Obrigado viu? Boa semana.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 17/11/2014 11:10  Atualizado: 17/11/2014 11:10
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29303
 Re: VERSOS DE LAMPEJO
Dos ventos atualizam-se aquele olhar que se penetram nos pensamentos, saindo dos olhos as essência ludicas dos lebrais que se fundem com os sentimentos que vem das almas dos poetas, esferograficamente