Poemas -> Sociais : 

As ruas do golpe (AjAraujo)

 
Open in new window
As ruas do golpe tem cor:
São brancas: mas não são de caras limpas,
Se vestem de amarelo: mas não defendem o pré sal de Monteiro Lobato e seus jeca tatus pra educação e saúde,

Se trajam de verde: mas não espere deles qualquer esperança, não são tangidos pelo desejo de mudança, mas de vingança,
querem de volta o que creem ser seu direito de classe, por herança

As ruas do golpe querem sangrar o vermelho, anemiar como sempre fizeram por séculos o povo sem rosto, que começa a morar dignamente, a ter médico nos sertões, a entrar para a faculdade,do deitado eternamente no berço da miséria

As ruas do golpe tem pacto com a mídia que lhes reforça o ódio de classe, são eles que mimetizam os velhos senhores de engenho travestidos de justiceiros e intolerantes,

Flertam abertamente com a ditadura, homofóbicos e fascistas, que tiram selfies com as forças policiais que outrora foram torturadores,

As ruas do golpe drenam as veias abertas de nossas riquezas enviando pra contas recheadas em paraísos fiscais, pois muitos deles ou invejam os Cunhas ou fazem exatamente como eles,

Se escondem sob um discurso falso moralista mas sonegam impostos, desviam recursos públicos, se locupletam nos privilégios de casta e classe,

As ruas do golpe tem entre seus ídolos picaretas ladrões que os representam no parlamento, autorizados por sentido de classe da Casa Grande,

São eles os impolutos e inocentes das listas blindadas do Moro que irão julgar a presidente cujo crime foi ter derrotado o candidato mais delatado da história deles,

A rua dos golpistas tem sede de injustiça quer ver o Lula tal e qual Tiradentes nas garras do carrasco Moro em seu vestal preto do fascismo que se abate pelo país,

Para eles bolsas deveriam ser privilégios somente para a Casa Grande, como anistias para os seus débitos com o governo, empréstimos para ampliar seus domínios, construir suas mansardas e castelos com recursos dos fundos de amparo ao trabalhador;

As ruas do golpe querem nova tortura para a Dilma a primeira não a matou, tampouco ela aceitou o conselho de renunciar como o Jânio ou se suicidar como Vargas,

As ruas do golpe querem nada menos tudo, nada de democracia, de legalidade, de direitos humanos, de direitos do trabalhador e menos tudo que diga respeito a corrupção de seus pares, como o Poncio "Cunha" Pilatos ou Herodes "Gilmar"

As ruas do golpe no final irão pedir nossas cabeças pois lhes incomodará para sempre - no pouco de consciência que lhes cobrará a conta - a nossa simples existência e tenaz resistência.

AjAraujo, o poeta faz um desabafo em 29 de março de 2016, sobre a situação preocupante do Brasil, no momento em que as velhas forças reacionárias e direitistas tentam de tudo para usurpar o poder legitimamente conquistado nas urnas, afrontando o estado de direito democrático.
 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1365
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
27 pontos
5
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 29/03/2016 17:48  Atualizado: 29/03/2016 17:48
Usuário desde: 07/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 16075
 Re: As ruas do golpe (AjAraujo)
Enfim o texto atual e sensato. Queria que o voto não fosse mais obrigatório. Me sinto lesado no meu direito e vejo lesada as conquistas sociais que foram sangrentas e covardes. Parabéns, querido!


Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 29/03/2016 18:42  Atualizado: 29/03/2016 18:42
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5735
 Re: As ruas do golpe (AjAraujo)
Está tudo tão escancaradamente erguido para a deflagração da democracia... Se todos que enxergam ousassem pelo menos falar!

Parabéns, poeta!


Enviado por Tópico
ZeSilveiraDoBrasil
Publicado: 02/03/2024 12:46  Atualizado: 02/03/2024 12:55
Administrador
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 1916
 Re: As ruas do golpe (AjAraujo)
.
.
.
...oito anos se passaram e nada mudou, até piorou, quando agora se constata indícios sem chance de controvérsias ora ditados por um desgoverno moldando uma ditadura consorciado com o mal, defensor da democracia relativa, da corrupção sem freio, maculam o estado democrático de direito, a Constituição, com uma ditadura judiciária plena, a cercear em breve a total liberdade de expressão de TODOS...
.. tentativa houve, vã, mas o mal tomou de volta seu status quo. "...eleição eles não ganham; tomam!".