https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

AMOR, NO ESPLENDOR

 

Primeiro, os olhos calmos
na meiguice dum sorriso doce e ímpar.
Depois, a pele rosada e quente
onde os cabelos poisam e a vontade pede…
E despe-se o corpo de rendas e sedas.
ao sussurro da vontade do amor.
A boca acende, os lábios secam, a língua agita
e o beijo apetece e chama…
E abre-se a fonte que verte e partilha
que transborda e pinga no peito.
Agora, o toque que chama as mãos
sentindo trémulos os seios
ao arrepiar dos mamilos inquietos.
Hum, o desejo pede demais!...
O arfar assume-se, o gemido vence o silêncio
e eleva-se a gritos desnorteados!
Deitam-se os corpos, inflama-se o desejo
abre-se a fenda e vontades desesperadas.
Unem-se os sexos, trementes de tesão
e o amor acontece, fundo e sem cessar…
Depois, muito depois, volta o colo, a ternura
o abraço calmo e o mesmo encantamento!…


João Luís Dias

 
Autor
jluis
Autor
 
Texto
Data
Leituras
377
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.