https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O bip polar do teu coração chega ao antártico do meu

 

Open in new window



essa bomba engolindo o vermelho da chama
afunila vontades em cacho
sonhos em parra
nesse tinto sangue
protegido por uma realidade in vitro
incapaz de embriagar a boca dos olhos
de quem te acena
com um sorriso
nos poros da face
nos lismos da carne
no outono dos lábios
caídos
dos braços despidos
gelados
pelos beijos das lágrimas

ai, esse teu amor! ….pode fazer o caminho inverso das larvas
de borboleta a um casulo de mágoa
mas sempre voa mais alto que qualquer ave …


um amor hibernando no verão mais quente e chegando como vulcão à casta invernal da solidão

um amor que amo

o grande amor
que fica tocando com a sonoridade mais alta
na arramada desta minha alma
presa no tempo
amarrada pelo silêncio
sofrendo com as bofetadas da lampa saudade
que serve de chão
às mãos no ar
esperando pelo atear de uma paixão
num abraço em fosforo
querendo ruir com a ilusão
oxidada
nas dobradiças da sorte …


Open in new window






 
Autor
Felizbela
Autor
 
Texto
Data
Leituras
386
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
15 pontos
3
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 04/10/2016 11:38  Atualizado: 04/10/2016 11:38
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: O bip polar do teu coração chega ao antártico do meu
Ondas de nosso oceano se manifeta dentro dos anseios das marés equacionando os sentidos, reflete um lindo azul saido dos teus olhos. acionando aquele silêncio que sai de dentro de nós
amantemente


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 05/10/2016 11:24  Atualizado: 05/10/2016 11:25
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: O bip polar do teu coração chega ao antártico do meu
Viva!
Feiizbela ou Nininha a escrita sempre previsível de encantadora, ou não fossem gémeas! Mesmo nas ilusões…ou desilusões, com dobradiças a ranger ou não acabo sempre sorrindo de doçura, maravilhada! BEIJINHOS! Vólena