https://www.poetris.com/
Poemas : 

Todas as Palavras!

 
V

ninguém escreve decassílabos aos telemóveis
e muito menos tragédias.

ei-los que tocam desgarradas
nas escuras salas de cinema,
onde todos os romances são possíveis
e todas as aventuras acontecem...

as grandes e as pequenas!

não oiço rimas quebradas
aos astros no firmamento,
aos peixes no mar
e aos homens na terra.

nem à tragédia de Camões zarolho
em guerra com as Ondinas,
aflito a nadar.

VI

repara bem no que te digo:

é uma pena que o Alegre
não escreva poemas menos sérios
e que os sermões do Vieira caminhem,
como loucos,
do zénite e dos cardumes
ao nadir e aos costumes.

tristes estão os escamudos na água!
mudos na terra
com a mudança os homens!

sem palavras!

VII

e ao sétimo dia
revelam-se todos os vocábulos.

é a poesia.
é ela que tudo destapa.

e nada escapa ao primeiro léxico
dos primo poetas que no banho,
na espuma das águas irmãs
do Tigre
e do Eufrates,
mergulham na palavra única.

era quando nem fala ainda havia,
porque Babel crescia entre zigurates
do tamanho da língua antiga:

que era una.

 
Autor
Luis
Autor
 
Texto
Data
Leituras
95
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 03/04/2017 23:12  Atualizado: 03/04/2017 23:12
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8087
 Re: Todas as Palavras!
Gostei muito, saio daqui na alegria de que ainda restam grandes poetas neste site. Maravilha!