https://www.poetris.com/
Poemas -> Reflexão : 

AINDA NÃO SEI DE NADA!

 
Ainda não sei de nada!

Se a curva é reta,
Ainda não aprendi
O sexo da inseta.

As pessoas passam,
Homens passados,
Mulheres passadas.

Todos muros de lado
E os rios no meio,
São fontes e seios.

Ainda não sei de nada!

Porque falta alimento
E sobra tormento,
Pelo mundo a fora?

Num mundo que nem há graça
E o feliz palhaço é de graça,
Nem oro por ele e me sinto palhaço.

Ainda não sei de nada!

O que é tudo aquilo?
Minha comida a quilo;
E não tenho dinheiro.

Meu leite a litro?
Minha vaca a palito;
E não posso comprar.

Ainda não sei de nada!

A juventude que não envelhece,
São ossos e olhos que apodrecem
Nas celas e nas terras, vadias e vazias.

Ainda não sei de nada!


José Veríssimo

 
Autor
veríssimo
 
Texto
Data
Leituras
54
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 15/12/2017 12:01  Atualizado: 15/12/2017 12:01
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 28255
 Re: AINDA NÃO SEI DE NADA!
Tuas palavras se faz nesse lindo e belo poema aquele olhar para a vida, onde os caminhos é um infinito, mas dentro delsl existem as curvas que podem acontecer os acontecimentos incertos.

belo poema