https://www.poetris.com/
Poemas -> Desilusão : 

DESCARTÁVEIS

 
Tags:  florbelapoesias  
 


De que valem as palavras do poeta?
No fim, são só palavras.
Verbos sonhados em madrugadas miseráveis
De sono ausente e sonhos de vigília
Inútil surrealidade
Inúteis palavras
Mas ainda assim escreve
Escreve o grito que esbravejou e ninguém ouviu
Escreve o coração que sangrou e ninguém estancou
Escreve a alma que padece pela prece que ninguém rezou
Escreve, o poeta escreve...
...Escreve o beijo negado
Escreve o abraço frouxo
Escreve o ressentimento que lhe guardaram
Escreve a anistia que não lhe deram
Escreve a segunda chance que não teve
Escreve o bicho que come a carne em dor lacerante
Escreve a culpa que sente o espírito por perdão
Escreve o Não
O grande e maldito Não para tudo
O Não para o riso
O Não para o amor
O Não para a delicadeza
O Não para a ternura que lhe fora prometida e que não veio
O Não para a gentileza que não veio dos céus
Deus!
O poeta escreve
E de que valem as palavras do poeta?
Não valem nada!
Nunca valerão nada!
Mil poemas não poderão mudar nada!
Nem mesmo uma morte tranquila e inodora
Nem mesmo para isso servem as palavras do poeta.

Elisa Salles
(18/12/2017)

Open in new window

Fonte da imagem: Pinterest
 
Autor
florbelapoesias
 
Texto
Data
Leituras
193
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 08/11/2019 22:14  Atualizado: 08/11/2019 22:14
Participativo
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 22
 Re: DESCARTÁVEIS
Uma visão um tanto pessimista, mas sem fugir à triste realidade. Onde o poema se ergue à espada? Quando estanca o sangue que esvai no peito? Porque escrevemos então?
Acho que somos os últimos baluartes contra a mesmice e a ditadura do óbvio. Parabéns pela propriedade do escrito.