https://www.poetris.com/
Poemas -> Amor : 

VARANDA: UMA DEFINIÇÃO DE AMOR

 
Foi assim: um medo fazendo caretas
Pra dizer a verdade naquela varanda
E um coração, ainda sem direção, rindo
Dizer o quê? Tudo que era preciso, hoje!

Aquele vento que nos acariciava passou
O coqueiro, onde cantava um pássaro desatinado
Também passou, tomou novos rumos. E meu coração?
Ficou dentro da varanda, que era mais que uma varanda

Era bela, única, romântica, mulher desacompanhada da solidão
Que me cobria homem, com teu jeito silencioso e calmo, único
Era uma declaração de amor parida nessa varanda, que apenas ouvia
Era a verdade que beija, acaricia e morde a boca que lambe e treme

Era um infinito que de tanto olhar-te por inteiro, olhou em mim, em mim
Olhar que marcava um tempo perdido e cobrava por um amanha diferente
Pensamento livre onde a semente da liberdade, que dorme na mesma cama
Que me acalma a alma, vontade que me tira a pele, que me arranca suspiros

Desejos quentes, sem caminhos, que dormem na varanda dos meus sonhos
E abraçam o tempo do pouco tempo quando penso que nem tenho mais tempo
Carinho é ninho simples onde dormem seguros, as marcas e os únicos amores
Varandas são como poços profundos, onde guardamos os puros pensamentos

Foi assim: medo e aprendendo andar, tudo isso é amor! Que segue caminhos
Pra depois voar na minha varanda, dentro de mim, a gente não tinha medos
Amor é telha de barro, que quando quebra, não é pra sempre, vazam gotas
Vão nos molhar estrada inteira. Amores precisam de varandas e gotas inteiras!

Foi assim!




José Veríssimo

 
Autor
veríssimo
 
Texto
Data
Leituras
162
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 31/05/2018 20:44  Atualizado: 31/05/2018 20:45
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16132
 Re: VARANDA: UMA DEFINIÇÃO DE AMOR
Poeta

Dizer o quê? Tudo que era preciso, hoje!

Belo e instigante!
Beijos!
Janna