https://www.poetris.com/
Poemas : 

Máqui, na

 
Sim, mais uma vez.
Repetindo e sempre fazendo,
Vida dura de máquina.
Maquinas não sentem,
Nem vêem o pôr do sol.
Na catedral com abertura em arco,
Não entramos.
Não somos humanos,
Não temos vida.
Sim, façamos de novo.
Uma máquina não se cansa,
Não temos esse privilégio.
Tomemos óleo,
Alimentemo-nos com energia.
Ambiente úmido e insalubre,
Máquina não pode ver.
Meus olhos vertem lágrimas,
Elas queimam meus circuitos;
Tanto faz, não tenho esperança.
Mas máquina não chora.
Ela apenas faz.
Faz de novo.
Continua a fazer até o infinito...


Rafael Carneiro


 
Autor
Rafaelcarma
 
Texto
Data
Leituras
133
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
4
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 10/11/2018 19:48  Atualizado: 10/11/2018 19:48
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15132
 Re: Máqui, na
Lembrei-me de Chaplin. Bravo!


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 12/11/2018 12:03  Atualizado: 12/11/2018 12:03
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16055
 Re: Máqui, na
Rafael
Genial! Eu me lembrei de Karl Marx!
Precisamos de uma luz para dar fim nisso!
Favoritei querido!
Beijos!
Janna