https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A ténue luz do teu olhar

 
Open in new window

Com teu olhar envolvente,
Me sinto um pássaro perdido,
Abraçado ao coração partido,
Ao ver-te perder no poente

Deixando pra trás
A ténue luz do teu olhar,
Que me fez encalhar
No vazio que em meu peito jaz

Procurei teu olhar
No escuro do horizonte,
E só encontrei o silêncio arrepiante
Dum adeus que não soube adiar

De longe, a luz do teu olhar,
Parecia uma minúscula estrela,
E cada vez mais, desejava tê-la
Sob o repicar dos sinos no cimo dum altar

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
329
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
31 pontos
9
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 24/08/2019 12:42  Atualizado: 24/08/2019 12:42
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6458
 Re: A ténue luz do teu olhar
Se se pudesse adiar o destino, muitas lágrimas seriam adiadas, após decisões adiadas na hora da partida.

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 24/08/2019 20:37  Atualizado: 24/08/2019 20:37
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6564
 Re: A ténue luz do teu olhar
Um texto belíssimo, porém sentido. O que fazer com as trajetórias do destino.?! Aplausos para sua obra de arte.

Um abraço,
Mary Jun


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/08/2019 00:46  Atualizado: 25/08/2019 00:46
 Re: A ténue luz do teu olhar
continuas atrasado mental!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/08/2019 11:22  Atualizado: 25/08/2019 11:22
 Re: A ténue luz do teu olhar
Dores de cotovelos?! Sinto muita penaporéma poesia aqui não páraLeia maishttps://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=345308 © Luso-Poemas



a mim nunca enganaste. basta eu dizer ai que te cagas todo. levei-te a dizer o que queria ouvir da tua boca. és ainda mais burro que o que pensava. o Alberto por certo não gostaria de me ver fazer-te o que te fiz. sei que a poesia para o Alberto nunca foi um numerário. a poesia é a vida, as pessoas. tu andas-te a comer somente para dares uma imagem ao espelho, ao espelho porque o mundo não é tão burro como imaginas. lá por essa cabeça não alcançar mais não quer dizer que o mundo não o consiga. tu não sabes escrever. podes ainda aprender, mas de facto ainda não sabes. aliás quem escreve "comente mas não mintas" ao invés de "comente mas não minta" ou "comenta mas não mintas" e não tem a lucidez de corrigir o erro mesmo quando alertado para tal, além de falta de humildade é de uma burrice... tu próprio te desmascaraste. e anda meio mundo a aprender com estes novos professores analfabetos! que a nossa senhora te perdoe. e o Alberto me perdoe a mim. com que então, estatísticas! muito bem. o Alberto não pode ter dores de cotovelo porque já não se encontra entre nós, mas posso afirmar que nunca o sentiria. és tão mas tão burro que nem te dás ao trabalho de saber de quem falas. vês se lavas a boca faz-te gente. sopa de cotovelos! fazes-me rir