https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Mãe, vítima dos seus rebentos

 
Open in new window

Mãe, sinonimo da existência,
Fruto de amor e compreensão,
Em seu coração de luz,
Ama, sofre e perdoa,
Porém, é vítima da violência
Da vil mão, que outrora
Assegurara a mama,
Daquela que tanto o amara.
Ser mãe, não é ser alvo da violência
Nem objecto da fúria dos homens.
Mãe é amor,
É luz, que luz
No sorriso de cada nené,
Que abraça o mundo,
Vindo do seu ventre-mãe.
Mãe é razão da continuidade…
Do seu ventre,
O mundo floriu,
Colorindo vales e prados
Com as cores dos sorrisos,
Que luzem nos campos
Desta velha terra, pisada
E repisada pelos homens.
Mãe é amor e não a dor,
Vinda dos inquilinos
Do seu ventre,
Inquilinos isentados da renda
Dos nove meses
Em seu protector ventre.
Ser mãe, não é ser alvo da violência
Nem objecto da fúria dos homens.

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
211
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 28/10/2019 20:52  Atualizado: 28/10/2019 20:52
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6532
 Re: Mãe, vítima dos seus rebentos
Mãe é fonte de amor, que nunca secará, apesar das intempéries, que sopram do coração dos homens.