https://www.poetris.com/
Textos : 

AS AMARGURAS DESTA VIDA, AZEDARAM O MEU DESTINO.

 
MODELO POÉTICO, "CORDEL A MARTELO AGALOPADO"

As amarguras desta vida
Azedaram o meu destino
Nunca fui tão humilhado
Já me senti um cretino
Mas depois da tempestade
Costuma vir uma brisa
É quando a gente analisa
O que está nos perseguindo
E então tomamos ciência
Do quanto mal que agimos.

Certamente o universo
Não está nos perseguindo
Pois os nossos retrocessos
Tem formatos clandestinos
Não se parecem em nada
Com os incômodos que sentirmos
E só depois descobrirmos
Que estamos contaminados
Mas aí não tem mais jeito
Pois já fomos degenerados.

Usuários do Youtube
vossas condutas me fascinam
antes de virar a esquina
terei mais de mil inscritos
é disto que necessito
para fazer transmissões ao vivo
https://youtu.be/fN9ishBISbQ



Miguel Jacó
Enviado por Miguel Jacó em 29/07/2020
Código do texto: T7020279
Classificação de conteúdo: seguro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
51
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 30/07/2020 10:00  Atualizado: 30/07/2020 10:00
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 3156
 Re: AS AMARGURAS DESTA VIDA, AZEDARAM O MEU DESTINO.


A vida é dura, muitas vezes torna-nos
amargos, frios, insensíveis
mas bendito o sol que nasce todas as manhãs

um abraço poeta Migueljacó

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 30/07/2020 14:38  Atualizado: 30/07/2020 14:38
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6717
 Re: AS AMARGURAS DESTA VIDA, AZEDARAM O MEU DESTINO.
Bom dia, Miguel,

Belíssimo. Cordel como sempre.
Parabéns!

Um abraço
Mary Jun